Saiba tudo sobre a vacinação da Covid-19 no Brasil

08 de dezembro de 2020 #Notícias

Veremos neste texto como funcionará a vacinação da Covid-19 no Brasil. Responderemos todas as suas dúvidas e mostraremos o calendário de vacinação no país.

Foto: Freepik

Desde o início deste ano o mundo enfrenta o coronavírus. Escolas e comércios foram fechados e o isolamento social foi defendido como a melhor solução para a doença não se propagar. No Brasil, a pandemia chegou em março e até o momento a população espera o início do calendário de vacinação da Covid-19.

Graças aos avanços científicos e a dedicação de diversos profissionais da saúde, já podemos observar os primeiros passos para a pandemia acabar no país e assim retornarmos a vida similar ao que era antes. É sobre isso que falaremos neste texto, vamos mostrar qual o calendário da vacina no Brasil, quais serão as pessoas que já poderão ser vacinadas em 2021 e como ocorrerá todo o processo. Confira!

Quais serão as vacinas aplicadas na população brasileira?

No Brasil, alguns laboratórios estão testando suas vacinas. Porém, são três as que provavelmente serão aplicadas na população brasileira primeiramente. A primeira com calendário definido é a chinesa Coronavac, a segunda é a inglesa Pfizer e a última é da empresa Moderna.

A Coronavac é a vacina chinesa desenvolvida pela Sinovac Biotech. No país, ela é testada pelo Instituto Butantan, localizado na região oeste da cidade de São Paulo. O Estado de São Paulo já comprou dois lotes da vacina e tem calendário de vacinação estabelecido para começar no Estado em 25 de janeiro, porém ainda aguarda rápida aprovação da vacina pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

O planejado é imunizar idosos, pessoas com comorbidades, profissionais da saúde, indígenas, pessoas privadas de liberdade, adultos e por fim crianças.

A segunda vacina que será aplicada na população brasileira em breve é a Pfizer, que tem um calendário de vacinação estabelecido para começar em março do próximo ano. Essa vacina desenvolvida pela universidade britânica de Oxford é testada no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e está nos estágios finais de testes. Em entrevista, a presidente da fundação garantiu que a Fiocruz obterá os direitos sobre a tecnologia e produção da vacina e deve começar a sua produção entre os meses de janeiro e fevereiro de 2021.

Qual o calendário oficial de vacinação da Covid-19?

Agora que nós mostramos quais são as principais vacinas aplicadas no país, veremos qual o calendário de aplicação previsto para começar em janeiro de 2021 no Estado de São Paulo e em março de 2021 nos demais Estados. Ele é composto por algumas fases que contemplam somente os grupos de risco e tem como prazo de conclusão dezembro de 2021.

Mostraremos abaixo separadamente as fases para o Estado de São Paulo (o primeiro a organizar seu calendário de vacinação) e os demais Estados do país:

Estado de São Paulo

Fase 1:
25/01 Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas
08/02 Pessoas com 75 anos ou mais
15/02 Pessoas com 70 a 74 anos
22/02 Pessoas com 65 a 69 anos
01/03 Pessoas com 60 a 64 anos

Fase 2:
15/02 Profissionais da Saúde, indígenas e quilombolas
01/03 Pessoas com 75 anos ou mais
08/03 Pessoas com 70 a 74 anos
15/03 Pessoas com 65 a 69 anos
22/03 Pessoas com 60 a 64 anos

Confira aqui a apresentação do Plano Estadual de Imunização de São Paulo

Demais Estado do país

Fase 1: nesse momento devem receber a vacina os trabalhadores da área da saúde e idosos com mais de 75 anos. Além disso, receberão a vacina as pessoas que vivem em instituições como asilos e hospitais psiquiátricos com mais de 60 anos.

Fase 2: serão vacinados os idosos entre os 60 e os 74 anos de idade durante essa fase.

Fase 3: nesse momento serão vacinas as pessoas com condições de saúde ligadas a casos graves da Covid-19.

Fase 4: a última etapa de vacinação da Covid-19 contemplará os profissionais da área de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional, professores e pessoas privadas de liberdade.

Como é a aplicada a vacina?

Entenderemos agora a aplicação e eficácia da vacina e se ela apresenta algum efeito colateral. Explicaremos como é feita a aplicação das vacinas.

A vacina é aplicada em duas doses no paciente. Sendo a primeira para preparar o corpo e a segunda para aumentar a resposta imunológica. No caso da vacina Coronavac já foi informado que é necessário o intervalo de 21 dias entre a primeira e a segunda dose. Essa vacina fornece para o corpo humano as instruções corretas para fabricação de anticorpos contra o coronavírus, por isso precisa ser tomada em duas doses, para que o corpo produza anticorpos o suficiente para imunização eficiente.

Qual a eficácia da vacina e por quanto tempo ela imuniza?

Cada vacina garante uma porcentagem diferente de eficácia. A vacina chinesa Coronavac que será utilizada inicialmente em todo Estado de São Paulo, produziu resposta imune em 97% dos participantes do estudo. Sendo as vacinas da Pfizer e da Moderna 95% eficazes contra o coronavírus.

Já em relação ao tempo de imunização, é importante dizer que são vários os fatores que o influenciam, como modificação do vírus ao longo do tempo, dentre outros. Logo, somente saberemos o tempo de imunização real de cada vacina futuramente. Apenas a vacina da Moderna prevê tempo de imunização certo para três meses após a sua aplicação.

Quais são os efeitos colaterais?

Depois de explicarmos qual o calendário de vacinação da Covid-19 no Brasil, quais são os grupos prioritários e como é feita a aplicação da vacina vamos mostrar quais podem ser os efeitos colaterais para pessoas idosas e para a população em geral.

É importante destacar aqui que, todas as vacinas contra a Covid-19 são desenvolvidas e estudadas desde o começo da pandemia por grupos de cientistas e profissionais da saúde renomados no mundo todo, como exemplo a vacina da Pfizer, foi desenvolvida nos laboratórios de Oxford, uma das mais antigas e renomadas instituições do mundo. Dessa forma, pode-se garantir a sua segurança para ser aplicada tanto idosos como também na população em geral.

Além disso, é importante lembrar também que as vacinas foram testadas por instituições reconhecidas no Brasil, como a Fundação Oswaldo Cruz e o Instituo Butantan. Por fim, cada vacina é submetida a diversos testes pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), logo os seus efeitos colaterais não são graves para todas as pessoas que a utilizarem. Normalmente, os únicos incômodos são dor no local da aplicação, febre e sintomas leves de gripe.

Estudos clínicos com a vacina chinesa Coronavac que será utilizada no Estado de São Paulo, demonstraram que 94,7% dos voluntários não tiveram efeitos colaterais. Dos que apresentaram reação, 99,7% relataram sintomas de baixa gravidade como dor no local da injeção e dor de cabeça leve.

Ao longo deste texto mostramos tudo sobre a vacinação da Covid-19 no Brasil. Vimos qual o calendário programado para o próximo ano e como acontecerá a imunização das pessoas que são grupo de risco da doença. Com isso, queremos mostrar que a vacina além de segura garantirá a imunização contra esse vírus letal e assim abrirá caminhos para retomada de uma rotina similar a anterior a pandemia.

Gostou de entender mais sobre a vacinação contra o Coronavírus? Então não deixe de acompanhar nossas publicações para continuar informado!

Free Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
udemy course download free
download samsung firmware
Download WordPress Themes
ZG93bmxvYWQgbHluZGEgY291cnNlIGZyZWU=
Últimas Atualizações

Temos as melhores taxas do mercado!

Simule Agora!