Nome Sujo? Veja 5 Dicas Para Você Limpar o Seu

De acordo com o SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), 62,6 milhões de pessoas no Brasil fecharam 2018 no vermelho e com o nome sujo, ou seja, 41% da população adulta. Em comparação a 2017 o número de devedores foi de 60,2 milhões.

Um dos motivos para termos uma taxa alta de devedores é que não somos ensinados desde de pequenos a cuidar do nosso dinheiro, além de não sermos ensinados dentro do ambiente familiar a escola também não dá suporte para ensinar as crianças a lidar com dinheiro.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mais de 60% das famílias brasileiras estão endividadas, e um dos motivos disso é não saberem administrar o crédito disponível com facilidade pelos bancos e instituições financeiras.

A facilidade de crédito nos dias de hoje faz com que a maioria da população acabe fazendo compras por impulso, não medindo se a aquisição daquele bem é realmente necessário e no final acaba sendo algo de não tão grande utilidade assim.

Devido a não terem essa orientação financeira, muitas pessoas têm feito novas dívidas para pagar as antigas, e fazem isso sem analisarem prazo de pagamento e juros, ou seja, olham somente para a parcela pequena do empréstimo e não analisam o montante pago ao final.

Para você que está com nome sujo, separamos algumas dicas para te ajudar a sair do endividamento e ter uma vida financeira saudável:

1 – Organização

Esse pode ser o passo mais difícil de encarar não só para quem está com o nome sujo, mas a primeira coisa a fazer é separar um tempo e saber exatamente quanto você deve, quanto entra e quanto sai por mês.

Além disso é importante você detalhar suas despesas, separar gastos fixos como aluguel, luz, gás e água de gastos esporádicos, como comer fora, usar um transporte por aplicativo, compras de itens que você não precisa mas acaba comprando por impulso e afins.

Uma dica interessante é você detalhar todo o seu gasto com o cartão, encare suas faturas e veja exatamente onde você mais gasta com cartão de crédito, não coloque somente a média do seu gasto mensal, saiba exatamente onde e para que ele está sendo usado.

Com esses números você vai saber exatamente quanto poderia estar economizando.

2 – Reduza suas despesas

Você já sabe como gasta seu dinheiro, agora é a hora de verificar como suas despesas podem ser reduzidas, mas lembre-se de que não é necessário chegar a um extremo, o ideal é ter equilíbrio para que você não contraia novas dívidas.

Liste todos os itens que você gosta e veja como eles podem ser adaptados para seu novo estilo de vida, por exemplo: você almoça fora todos os dias, levar marmita para o trabalho é uma ótima opção para economizar, outra ideia bacana é trocar a ida ao trabalho de carro ou aplicativo de transporte por bicicleta ou até mesmo ir a pé se possível.

Se você tem o hábito de passar tudo no cartão, seja no crédito ou no débito, deixe seus cartões em casa. “Mas e se surgir uma emergência?”, não vai surgir!

Segundo a Youtuber Nathália Arcuri sempre que você paga algo em dinheiro você sente a “dor do pagamento” e a tendência é você gastar menos, para tirar a dúvida é só pensar: quanto tempo dura uma nota de R$ 100,00 na sua carteira e quanto tempo durão dez notas de R$ 10,00? Entendeu a diferença?

Se você manter uma nota de R$ 100,00 na carteira para passar o mês com possíveis imprevistos você irá gastar menos do que se sair com os cartões, segundo Nathália ver o dinheiro nos dá a consciência de que estamos perdendo dinheiro, algo que não acontece quando usamos os cartões.

3 – Não faça novas dívidas

Esse tópico pode parecer um pouco óbvio, mas a partir do momento em que você decidir encarar suas dívidas de frente e colocar a casa em ordem, muitas oportunidades de se endividar irão aparecer novamente.

O ideal é que você não frequente lugares que vão te estimular a gastar, como shoppings, centros comerciais, lojas de eletrônicos ou qualquer outro tipo de comércio.

Um exercício muito bacana de se fazer é você se perguntar: “eu realmente preciso desse item ou posso ficar sem ele?”, você irá se surpreender como pode viver sem algumas coisas que você acha ser fundamental.

4 – Qual conta eu devo pagar primeiro?

Isso pode ser uma dúvida comum, mas não é difícil de se resolver, o ideal é que você comece negociando as dívidas que têm os juros mais altos, como o cheque especial por exemplo.

Mas fique atendo as propostas que a empresa ou banco para qual você deve irá lhe apresentar, o foco aqui é conseguir parcelas que não vão te comprometer financeiramente e que permitam que você honre com seu compromisso mensal.

Assim que você contatar essas empresas informando que quer quitar o que deve, elas irão apresentar a você mais de uma opção de parcelamento, nesse momento você precisa ser racional e avaliar bem as propostas.

Quitando as dívidas mais pesadas no começo você pode partir para as contas mais baixas.

5 – Tenha qualidade de vida

Ter contas atrasadas e receber ligações de cobrança é estressante para quem está com o nome sujo. Passar por essas situações e abrir mão de pequenos prazeres pode ter sérias consequências como aumento de consumo de bebidas alcoólicas e crises de ansiedades.

Por outro lado, quando você decide encarar suas dívidas para poder voltar a ter o nome limpo na praça você percebe que pode ter sua qualidade de vida de volta, e assim conseguir tomar melhores decisões.

Independentemente do valor da sua dívida, é possível colocar a casa em ordem e não voltar a ter o nome sujo mais, seguindo as dicas listadas aqui você irá conquistar sua liberdade financeira novamente.com

Copyrigth © Consiga Cred 2019

A Consiga Cred, sob o CNPJ 11.395.769/0001-72, com sede na Av. Sampaio Vidal, 250 Centro do município de Marília, no estado de São Paulo, CEP 17500 020. E para entrar em contato encaminhe um e-mail para contato@consigacredi.com.br. Somos correspondente bancário e representamos instituições que oferecem soluções financeiras, possuímos uma plataforma de agência bancária online que facilita o acesso de clientes a produtos e serviços ofertados por empresas credenciadas. Somos autorizados a realizar empréstimo consignado pelos bancos Bradesco Promotora, Correspondente Itaú Autorizado, Banco PAN, Banco Safra, Banrisul, Crefaz, Mercantil do Brasil, BV Financeira, CCB, Olé Consignado, Banco Daycoval, Cetelem, JBCred, Banco Inter, PortoCred Financeira, entre vários outros. *Os valores e prazos estão sujeitos à análise de crédito e aprovação conforme a política de crédito da Instituição Financeira. Exemplo representativo: Um empréstimo de R$ 9.000 com parcelamento em 18 (dezoito) vezes acarretará em 18 parcelas de R$ 702,09. Ao final do empréstimo o montante a ser pago será de R$ 12.637,62. Dados adicionais do exemplo: IOF: R$ 242,13. Tarifas: R$ 0. Juros mensais: 3,52% a.m. Juros anuais: 51,52% a.a. CET: 58,35% a.a. O CET obtido através da Consiga Cred pode variar de 2,97% a 17,39% ao mês (42,80% a 584,61% ao ano), dependendo da análise de crédito do cliente e da opção de parcelamento (que pode ser de 6 a 72 vezes).